A pimentinha

Às vezes, quando não se tem o que dizer ou não se sabe o que falar, costuma-se soltar um singelo “sem comentários”. Ninguém está imune a isso.
Mas tem certas coisas que, de fato, não necessitam ABSOLUTAMENTE de comentário algum. O vídeo abaixo é um desses:

Beijos!

One thought on “A pimentinha”

  1. Pensar o Recife, é pensar
    minha meninice.
    pensar em Casa Amarela,
    Casa Forte, Tamarineira.
    Boce da Facada,
    Bomba do Hemeterio.
    É lembrar do Cemitério
    De santo Amaro e Casa amarela.

    Da Feira livre do Bairro,
    dos bares da entrada do
    Vasco da Gama.
    Pensar o Recife, é ter saudades
    e querer Voltar, um tempo que já nao há
    e nunca mais voltará.
    Pensar o Recife, é lembrar
    que nas tardes de domingo
    no cine Rivoli, eu comeceu a namorar.
    Mas, mesmo que volte,
    o Recife que conheci e vivi,
    já nao existiria.
    Dom Edmar – Piura -Peru 05112011

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *