Policarpo e VEJA estão por um fio

Policarpo Júnior, diretor da Veja e pertencente à Máfia do Cachoeira
Campanhas eleitorais estão pegando fogo Brasil afora, mas dois assuntos tomam conta da imprensa neste período pós-olimpíadas:
1) O Julgamento da Ação Penal 470 no STF, apelidada por Roberto Jefferson e pela grande mídia de “Julgamento do Mensalão”. Virou a frente de batalha principal da direita reacionária em nosso país e tem como alvo sangrar o máximo que puder o PT.
2) CPMI do Cachoeira.
Por motivos ÓBVIOS, a imprensa deixou um pouco de lado a CPMI e centra o cacete no julgamento do STF. 
Mas o que me chamou a atenção hoje foi a notícia veiculada pelo Blog da Cidadania. Nela, o jornalista cita que faltariam somente 4 votos para que haja número suficiente para a convocação de Policarpo Júnior, diretor da sucursal de Brasília da VEJA. Seria fantástico.
O jornalista já contabiliza os votos do PSOL, PCdoB, PSB, PTB (do Collor) e os do PT. Diz que a reportagem de capa da Carta Capital do último de fim de semana, assinada por Leandro Fortes, foi determinante.
O GRANDE problema está no fato de que os 4 votos restantes dependeriam do PMDB. E todos os indícios apontam que este partido não teria muito interesse nesta convocação. Há fortes rumores que dão conta de uma acordo fechado entre o vice-presidente da república, o Michel Temer, com as organizações Globo e com a Veja, que estariam dando uma trégua ao governo (não necessariamente ao PT), em troca da garantia de não ter importantes entes seus convocados para a CPMI.
Vamos acompanhar os próximos capítulos…

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Exército dos Estado Unidos estuda Rio São Francisco

Foto do Exército Brasileiro em treinamento no Rio São Francisco
A CODEVASF, órgão submetido ao Ministério da Integração Nacional, anunciou há algumas semanas um contrato com o exército estadunidense para estudos de navegabilidade para o Rio São Francisco. Os norte-americanos lucrarão R$ 7,8 milhões para um trabalho previsto de 3 anos.
O coordenador será o brigadeiro Douglas Fraser, Comandante do Comando Sul do Exército dos Estados Unidos e, por consequência, Comandante de quaisquer operações militares em nossa região. É mole?!
Coisa mais estranha, não? Talvez seja pura ignorância minha, mas esta história toda não faz o mínimo sentido. 

E aí me faço duas perguntas:

1 – Será que não há técnicos em NENHUM canto do país que possam contribuir para um bom projeto nas águas do Rio São Francisco?! Esta quantia não me parece pouca…
2- Por que LOGO os Estado Unidos?? E aí não é simplesmente lance ideológico meu, mas este pessoal da CODEVASF não estudou história não? Não lê notícias não? Não têm noção de tudo que os EUA fazem afora, vide o que está acontecendo no Paraguai, na Líbia, na Síria, etc etc etc…
Exército dos Estados Unidos em base militar na Colômbia
Nós, principalmente os que se reivindicam da esquerda brasileira, não podemos perder de vista que o Imperialismo é um inimigo claro e que precisamos estar sempre atentos. Até nestes supostos acordos técnicos de cooperação. As formas de dominação hoje estão avançadas e disfarçadas nas mais variadas formas.
Se alguém acha que nos dias de hoje não podem acontecer mais ocupações militares “como antigamente”, basta abrir as páginas dos jornais.
Para mais informações, cliquem neste link

Nota da Consulta Popular sobre Golpe no Paraguai


NOTA DA CONSULTA POPULAR:
TODO APOIO AO PRESIDENTE FERNANDO LUGO E AO POVO PARAGUAIO QUE SOFRE UM GOLPE DEESTADO!
A Consulta Popular, por meio da sua Direção Nacional, vem expressar a sua profunda indignação frente a mais um golpe de Estado em nosso continente.
Desde a ascensão de Fernando Lugo à presidência da república (em 2008), os setores conservadores, que dominaram o Paraguai numa ditadura que durou mais de seis décadas, inviabilizam as mudanças naquele país irmão.  O Presidente Lugo esteve todo esse tempo (desde a sua eleição) sob a ameaça de golpe, em virtude da fragilidade de apoio ao governo no congresso.
Lugo vêm sofrendo grandes dificuldades, visto que o parlamento paraguaio ainda se concentra nas mãos do Partido Colorado que tenta – numa farsa muito bem orquestrada – provocar um golpe, mascarando-o com elementos institucionais. Neste intento, arrastou para o seu lado, o PLRA – Partido Liberal Radical Autêntico, que conta com 14 representantes no congresso, o qual retirou o seu apoio ao presidente, além de aprovarem juntos (Colorados e Liberais), e numa rapidez absurda, a instauração de impeachment contra Lugo.
Vale destacar, que esses setores direitistas são intimamente ligados às oligarquias e aos latifundiários, grandes produtores de soja para exportação, dentre os quais, brasiguaios como Tranquilo Favero, o mais rico do país.

Foram justamente estes setores que instigaram os Policiais do Grupo de Operações Especiais à matança de camponeses pobres ocorrida na semana passada. O que se passou em Curuguaty trata-se de um plano de desestabilização de seu governo, visto que recentemente Lugo assumiu uma postura mais firme, visando avançar na reforma agrária, resolver o problema das terras irregulares (Morunbí) e outras medidas progressistas, o que tem gerado oposição ferrenha dos partidos tradicionais.
Dentre as inúmeras acusações abstratas que fazem contra o Presidente no processo de impeachment, todas elas existem sem provas. Ademais, mesmo se comprovando algo (o que é impossível, em virtude da farsa), se trataria de crimes comuns, os quais exigiriam um rito próprio, não sendo devido, portanto, o processo político de impeachment. Além disso, alegam que Lugo tem politizado o exército e mantém ideologia marxista e bolivariana, ficando claro, portanto, os seus interesses de classe.
No mesmo momento em que se instaurou a crise política no país irmão, o governo dos Estados Unidos da América, através, de seu porta-voz para a América Latina do Departamento de Estado, William Ostick, afirmou que se deve respeitar o processo contra o presidente Lugo. Tornando-se claro os interesses do Império na queda do Presidente Lugo que visa uma integração continental que fere aos objetivos dos EUA.
Neste momento, é dever de todas as forças populares manifestar à sua absoluta contrariedade ao Golpe, expressando completo e irrestrito apoio ao Presidente Lugo e ao povo Paraguaio.
A queda de Lugo significa um retrocesso na correção de forças do continente, uma vez que abre espaço para que as forças direitistas voltem assumir o executivo, através do Federico Franco, do Partido Liberal. Mais do que isso, representa um passo a trás frente ao projeto continental que visa dá respostas aos anos de avalancha neoliberal e à atual crise capitalista.
Caberá a Fernando Lugo e ao povo Paraguaio, reverter a situação e ir em frente no projeto de tornar o Paraguai Livre, Democrático e Soberano. Este foi o intento do povo paraguaio expresso nas urnas. Neste momento, o povo nas ruas reafirma o apoio ao presidente e exige que as medidas populares sejam implementadas.
 É fundamental que os países que compõem a UNASUL – União de Nações Sul-Americanas manifestem uma postura firme e contundente contrária ao Golpe de Estado em curso, expressando solidariedade e respaldo político ao Presidente democraticamente eleito nas urnas, exigindo-se o retorno imediato de Lugo às suas atribuições.
À militância “é preciso passar a ação”. Que se organizem nos próximos dias atos de solidariedade, decorações, ações de rua, atividades na embaixada Paraguaia no Brasil etc, demonstrando completo apoio ao Presidente Fernando Lugo e contra o Golpe, o qual nada mais é do que uma demonstração das forças à serviço do Império visando impedir os avanços democráticos e populares em nosso continente. 
Colorados e Liberais são inimigos do povo Paraguaio!
Os golpistas não passarão!
Todo apoio ao Presidente Lugo!
Um golpe contra o Paraguai é mais um golpe contra a América Latina!
Abaixo o Imperialismo!
América Latina Livre, Venceremos!
Direção Nacional da Consulta Popular.
São Paulo, 22 de junho de 2012. 

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Conheça e ajude na construção da imprensa popular


Estimados amig@os,

O acesso às informações de qualidade é importante para a nossa vida, uma vez que orientam a nossa prática e contribuem na compreensão da realidade. A classe dominante brasileira transformou os seus veículos de comunicação (televisão, internet, revistas semanais e jornais da chamada grande mídia) em trincheiras de luta ideológica contra a classe trabalhadora e contra o povo brasileiro.

Dentro dessa lógica, a elite usa e abusa da manipulação de informações e de análises distorcidas, para justificar seus falsos valores, modos de vida e formas de dominação. Ao mesmo tempo, procura satanizar, desmoralizar e criminalizar os movimentos sociais e a luta social na defesa dos direitos do povo e da construção de uma sociedade mais justa e fraterna.

A classe dominante defende os mecanismos da dominação capitalista, a exploração do trabalho, a extração da mais-valia e a acumulação gerada pelo consumismo individualista, mesmo com o suor e lágrimas de milhões de brasileiros que trabalham e ficam com uma parte muito pequena da riqueza gerada com o seu esforço, suor e preocupações cotidianas.

Os movimentos sociais do campo e da cidade constroem desde janeiro de 2003 um conjunto de veículos de comunicação para tentar romper a barreira de hegemonia da classe dominante.
Temos como ferramentas o nosso jornal impresso BRASIL DE FATO, uma agência de notíciaswww.brasildefato.com.br e uma agência de rádio, a RADIOAGÊNCIA NP. Além da construção desses meios de comunicação, procuramos enviar boletins eletrônicos com informações sistematicamente e estamos nas redes sociais (como no Twitter e Facebook).

Desenvolvemos também, junto aos movimentos sociais, uma prática de editar jornais impressos de especiais, de caráter popular, sobre temas específicos da luta de classes, sobre grandes temas nacionais.

Esses jornais especiais têm uma circulação milhares de exemplares. Fizemos uma edição especial sobre as mudanças no Código Florestal, com uma tiragem de 500 mil exemplares. Estamos fazendo uma campanha para lançar uma jornal sobre o livro a PRIVATARIA TUCANA (clique aqui para contribuir), um tema importante que a grande imprensa escondeu, apresentando as principais denúncias. Vamos lançar também um jornal especial para a conferência CÚPULA DOS POVOS, que acontecerá durante a Rio+ 20, em junho.

Dessa forma, buscamos abrir um debate nacional sobre grandes temas com a sociedade, com reportagens que ajudem todos os cidadãos, que lutam por uma vida melhor e por uma sociedade fraterna.

O Brasil de Fato é fruto da construção dos movimentos sociais, da militância e de muitas entidades que apoiam esse projeto, além do trabalho militante de dezenas de profissionais da comunicação, que encontram em nossos veículos um espaço aberto para exercer o jornalismo. 

O desafio é ampliar cada vez mais o número de leitores e de assinantes. As assinaturas, a melhor forma de garantir o acesso às informações impressas, são o modo de sustentação desse sistema de comunicação popular.

Faça parte desse projeto de comunicação popular. Se você já for assinante, promova a assinatura dos seus amigos, dê de presente. Caso você ainda não seja assinante, faça a sua assinatura.

O jornal trabalha com a forma de parcelamento no cartão de crédito (acesse o formulário online onde consta a opção de pagamento no cartão de crédito).

Contamos com o seu indispensável apoio. Sem o apoio de cada cidadão brasileiro com preocupado com a resolução dos grandes problemas do país, não será possível travar essa batalha na comunicação.

Se você pertence a algum movimento, participa de alguma atividade política e cultural ou gosta de escrever, envie também seus textos. Estimule também as pessoas do seu trabalho, igreja, escola/universidade e movimento social que enviem noticias para o Jornal Brasil de Fato. Certamente aproveitaremos nos nossos veículos.

Um forte abraço a todos e todas.
 
João Pedro Stedile
membro do conselho do Brasil de Fato pelos movimentos sociais
Nilton Vianna
editor-chefe do Brasil de Fato e da coordenação do conselho editorial

Guardiola na Seleção Brasileira de Futebol?

Esta talvez seja uma das coisas mais sem sentido que ouvi nos últimos tempos.
Não por Guardiola. Não vou ficar repetindo o que muitos já estão dizendo por aí, mas queria elencar apenas duas características neste profissional que o lançam, talvez, como a maior novidade no futebol profissional do mundo nos últimos tempos:
Em primeiro lugar, o mais óbvio, a excelência do futebol apresentado pelos seus comandados. A extrema qualidade de se desvincular de vários lugares-comum do futebol e fazer sua equipe mostrar um lindo futebol, seja com 3 ou 4 atacantes em campo, ou até mesmo quando entrou com apenas um atacante por definição. Guardiola conseguiu jogar na lata do lixo várias das simplificações às quais estão presos a esmagadora maioria dos técnicos em nosso país que ficam o tempo todo tendo que dar resposta a dúvidas do tipo: “O time entre no esquema 4-4-2 ou 5-3-2?
Não há dúvidas de que o Pep contou com um bocado de “sorte” de contar com um elenco do naipe do Barcelona, mas que por si só não apresentaria o futebol que apresentou (e apresenta) ao resto mundo.
Em segundo lugar, é todo o respeito que apresenta por sua região, a Catalunha. Tal região é uma comunidade autônoma da Espanha e que sofreu séria repressão cultural e política por parte da Ditadura de Franco. Hoje possui sua autonomicidade novamente reconhecida, mas sua história e seu presente seguem como símbolos da resistência de um povo.
De toda forma, voltando ao debate, a bizarrice da história está em alguém realmente acreditar que Guardiola possa vir a treinar o Brasil. Nem sei o treinador teria este interesse. Porém com certeza não está entre os interesses da CBF ter um cara como Guardiola no comando da seleção.
Hoje a CBF e, por tabela, a Seleção Brasileira servem apenas como pretexto para que um grupelho mantenha-se no poder e aufira lucros astronômicos. Estão neste bolo figuras como Ricardo Teixeira e João Havelange, mas com espaço para outros, como grande parte do conluio que compõe o comando do futebol mundial como a FIFA, CONCACAF, UEFA e tantas outras. Somente com muita inocência poderia-se presumir mudanças estruturais no futebol brasileiro com a queda de Ricardo Teixeira e consequente ascensão de José Maria Marin, o ladrão de medalhas pego em flagrante nas câmeras de TV pra todo Brasil.
Não à toa que Dunga, um cara que não apresentou nenhum traquejo como treinador, ficou tanto tempo por lá. Imaginavam uma nova revelação do futebol mundial? Com certeza que não, mas sem dúvida não confrontava nenhum dos interesses de Ricardo Teixeira e dos patrocinadores da CBF.
Pelo mesmo motivo Mano Menezes está lá, enquanto o futebol apresentado pela Seleção é de doer nos olhos. Mano é componente do mesmo grupo onde está uma figura do naipe do André Sanchez, ex-presidente do Corinthians e com relações notórias com máfias como a que coordenava a MSI.
É por acreditar no potencial mobilizador do futebol e por buscar ver sempre o seu lado belo, como Eduardo Galeano me ajudou a enxergar, que só vejo uma mudança de rumo no futebol brasileiro, e no mundial, com uma verdadeira e brusca transformação estrutural em tudo que envolve este esporte.

Movimento de jovens realiza ações em memória ao Massacre de Eldorado dos Carajás

À beira do Rio São Francisco em Juazeiro-BA
Praça da Catedral em Petrolina-PE
No dia de hoje, jovens de 10 estados brasileiros realizam ações de protesto pela memória e justiça no aniversário de 16 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, acontecido no dia 17 de abril de 1996 no estado do Pará.  
21 cruzes brancas, em memória aos 21 trabalhadores do campo executados pela Polícia Militar em Eldorado, foram colocadas em pontos estratégicos em cidades nos estados do Piauí, Ceará, Sergipe, Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul.
A ação, organizada pelo Levante Popular da Juventude, visa denunciar a impunidade dos responsáveis políticos e materiais pela chacina e dar visibilidade aos conflitos no campo, fruto da concentração de terra no país. Segundo a Comissão Pastoral da Terra, os conflitos no campo aumentaram de 2001 a 2010, levando ao assassinato de 360 trabalhadores.
Este é o primeiro ato do Levante Popular da Juventude na região do Vale do São Francisco.
Eldorado dos Carajás
Há 16 anos, 21 trabalhadores do campo foram assassinados na cidade de Eldorado dos Carajás, no Pará. Na tarde do dia 17 de abril de 1996, cerca de 1100 sem-terra interditavam a rodovia PA-150 em marcha rumo à capital para exigir a desapropriação da fazenda Macaxeira, em Curionópolis (PA), ocupada por 1.500 famílias havia 11 dias.
Do gabinete do então governador Almir Gabriel saiu a ordem de “desobstrução da via”, encaminhada pelo secretário de Segurança Pública, Paulo Sette Câmara, e executada com truculência pela polícia militar do estado do Pará, em ação comandada pelo Coronel Mário Colares Pantoja e o Major José Maria Pereira Oliveira.
O uso abusivo e truculento de força policial é comprovado pelos depoimentos, fotos e laudos periciais sobre a tragédia.  A perícia judicial divulgou laudo onde concluiu que os sem-terra foram executados com tiros à queima-roupa, pelas costas ou na cabeça, com golpes de machado e facão no momento em que já estavam rendidos pela polícia.

Impunidade
Dos 155 acusados, 142 foram absolvidos, 11 foram retirados do processo e apenas dois – o Coronel Mário Colares Pantoja e o Major José Maria Pereira Oliveira –  foram condenados. O então Governador e o Secretário de Segurança Pública, responsáveis políticos pela chacina, não foram sequer indiciados.
Em 2002, o Coronel Mário Colares Pantoja e o Major José Maria Pereira Oliveira foram condenados a 228 e 154 anos de prisão. No entanto, apesar da sentença, os dois respondem em liberdade, sem previsão para execução da pena.
Levante Popular da Juventude
O Levante Popular da Juventude é um movimento social organizado por jovens que visa contribuir para a construção de um projeto popular para o Brasil. É um organização autônoma aos partidos políticos.

Com caráter nacional, tem atuação em todos os estados do país, no meio urbano e no campo. Se propõe a articular jovens, militantes de outros movimentos ou não, interessados em discutir as questões sociais e colaborar para a organização popular. 

O Levante organiza a juventude para fazer denúncias à sociedade, por meio de ações de Agitação e Propaganda. Recentemente, no dia 26 de março, organizou manifestos pela responsabilização dos militares acusados de tortura durante o período da Ditadura Civil-militar. O Levante Contra a Tortura foi realizado em vários Estados do país através de ações de escrachos em frente à casa e locais de trabalho dos militares.
O movimento não tem bandeiras previamente definidas. A luta política se dá pelas pautas escolhidas pelos próprios militantes, que realizam atividades de estudo e debates, sistematicamente, por todo o país.

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Levante Popular da Juventude contra a Tortura!

E hoje o dia foi de luta!

Jovens sairam às ruas em várias capitais brasileiras para denunciar a impunidade. Denunciar torturadores que, se parecem velhinhos inofensivos hoje, são responsáveis por muito sofrimento e mortes em nosso país. Todo crime de tortura deve ser punido!

Parabéns ao Levante Popular da Juventude.

Segue vídeo da reportagem da TV Record sobre os atos.

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

E quando remédio é veneno?

Já tomou sua dose de remédios de hoje?
Taí um assunto que me aborrece quase todos os dias. É o uso descontrolado que fazemos atualmente de medicações. Seja por culpa dos prescritores, seja por conta própria dos consumidores. O fato é que nossa sociedade não sobrevive sem um remediozinho pra aquela dorzinha, agoniazinha por dentro ou insônia.

Dando uma estudada aqui cheguei a um dado estarrecedor: nos EUA, 40% dos casos de intoxicação ocorrem por consumo de medicamentos. O primeiro lugar, com 11.75% dos casos, pertence aos tão propaladamente “inofensivos” analgésicos.
“Ahh, Doutor, dipirona e paracetamol são como água para mim. Não resolvem nada.”

No Brasil não é muito diferente e os remédios permanecem ocupando o primeiro lugar. Não tem estriquinina, água sanitária ou comigo-ninguém-pode que chegue perto.
Enquanto isso as indústrias farmacêuticas permanecem promovendo grandes prescrições inespecíficas para todo mundo em horário nobre na TV, nas grandes revistas ou até nas redes sociais. Cheguei uma vez a flagrar propaganda de um dito expectorante de alguma marca comercial do Ambroxol abertamente no facebook. Com direito a desenhos animados e tudo para chamar a atenção do público infantil. Terrível. Cheguei a tirar o print da tela para tentar alguma denúncia, mas pouco tempo depois não estava mais no ar. Procurei agora e nada…
Enfim, acredito que há muita permissividade quanto a propaganda de medicamentos no Brasil. Não sei direito, mas me falam que em muitos países, mesmo ultra-capitalistas, a coisa é mais regulada, mais controlada. É preciso mais do que nunca fortalecer os mecanismos de controle de propaganda no Brasil. E quanto a remédios, nem se fala…

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Ricardo Teixeira renuncia à presidência da CBF

Não tá fácil pra ninguém! Imagina pro Ricardo Teixeira…

Há alguns minutos foi feito o anúncio: o inimigo número 1 do futebol brasileiro acaba renunciar ao cargo de presidente da CBF.
É uma grande conquista, mas a máxima tem tudo para ser a do “mudar, para permanecer do mesmo jeito”.
Quem assume a Confederação e a presidência do Comitê Organizador da Copa é o seu aliado Marin.
Em breve, escrevo mais.

Michel Zaidan e a política da desqualificação

Professor Michel Zaidan critica privatização da Saúde em Pernambuco
Na semana passada o professor Michel Zaidan escreveu um artigo criticando a forma como o Governo de Eduardo Campos tem tocado a questão da saúde no Estado de Pernambuco. (leia em Quando a Saúde se transforma num grande negócio.)

Daí, então, acho que num espaço menor que 24 horas já havia resposta pronta por parte do campo que hoje governa o Estado. Veio assinada por um vereador de Paulista chamado Júnior Matuto. Mas com um grande problema: ao invés de debate, somente desqualificações ao professor Michel Zaidan. Sugiro a leitura somente para ter uma idéia do “nívi”: Psicanalisando o Professor Zaidan

Segue o texto que escrevi ao me deparar com esse cenário:

É de conhecimento de todos que o Governo de Eduardo Campos hoje não tem, nem de longe, uma oposição que lhe faça frente. Nem à esquerda e nem à direita. Esta última esturricada e quase que completamente cooptada pela política de hegemonia da chamada Frente Popular encampada por Eduardo Campos.

Mas esse quadro não pode servir de pretexto para atacar pessoalmente a quem ameaça críticas, deixando o debate político de lado. Infelizmente essa tem sido a prática política adotada pelo Governo e seus defensores. Um grande exemplo foi a carta publicada hoje, no Blog do Jamildo, assinada por um vereador da cidade de Paulista-PE de alcunha Júnior Matuto com vários ataques ao Professor Michel Zaidan.

Antes de tudo deixo claro que não conheço pessoalmente nem o Júnior Matuto, nem o Professor Michel Zaidan. O meu lamento surge da ótima oportunidade perdida de se problematizar a fundo a questão da gestão e do financiamento da saúde no Estado de Pernambuco. Ao invés disso, um espaço importante na mídia utilizado com ataques que não nos levam a canto nenhum e nem contribuem com a melhoria das condições de nosso povo.

O debate sobre os caminhos da saúde é essencial para que corrijamos os rumos do SUS e este possa, definitivamente, atender ao máximo aos anseios da população. E, no caso de Pernambuco, faz-se mandatório discutir e aprofundar a escolha pelo modelo de Organização Social de Saúde (OSs). Não dá para entregar hospitais novos e UPAs a uma organização privada (sim, o IMIP é privado)e não esperar que haja uma reação da sociedade.

Por ora, não questiono aqui o trabalho realizado pelo IMIP, até porque conheço profissionais bastante sérios e competentes que ali trabalham. Questiono a opção. E abrir mão da administração direta não parece boa escolha.

Em alguns locais onde o modelo de OSs está há mais tempo em funcionamento, os problemas são vários. Em São Paulo, por exemplo, relatório do Tribunal de Contas do Estado confirma que OSs são deficitárias e menos eficientes. Evidencia também, entre outros pontos,  que o custo é mais alto, a taxa de mortalidade é maior e que há uma ampliação da desigualdade salarial entre os trabalhadores. Afora as várias denúncias de corrupção.

Por tudo isso, espero sempre que Governo e seus defensores aproveitem as críticas para promover o debate, ao invés de esconder-se por trás de críticas pessoais e desqualificações.

Aristóteles Cardona Júnior

Residente em Medicina de Família e Comunidade pela UNIVASF em Petrolina e militante da Frente Contra as Privatizações na Saúde do Vale do São Francisco.


No link ao lado segue o relatório do TCE-SP citado no texto. http://www.chicao.blog.br/tce-os.pdf