Estamos com Sílvio Tendler!

Somente hoje, por absoluta falta de tempo nos últimos dias, pude ler a carta escrita pelo cineasta Sílvio Tendler sobre intimação que recebeu para prestar alguns esclarecimentos a um delegado.

Simples e direta, mas muito tocante, como não poderia ser diferente.

Tive a oportunidade de conhecê-lo em setembro de 2011, quando o trouxemos a Petrolina para o lançamento do seu filme “O Veneno está na Mesa” em atividade realizada pelo Comitê da Campanha Contra os Agrotóxicos e Pela Vida aqui no Vale do São Francisco.

Grande figura, grande militante e grande humanista. Estamos com você, Sílvio!

Lançamento do filme “O Veneno está na Mesa” no STR em Petrolina

Para quem ainda não viu o filme, fica a forte sugestão:
Para conhecer mais sobre a Campanha Contra os Agrotóxicos e Pela Vida:

Eis a carta:

Carta Aberta a um Delegado de Polícia ou Respondendo à Intimidação por parte do clube militar.
Delegado,

Dois policiais vieram ontem à minha residência entregar intimação para prestar declarações a fim de apurar atos de “Constrangimento ilegal qualificado – Tentativa – Autor”, informa o ofício recebido. Meu advogado apurou tratar-se de denúncia ou queixa ou sei lá o quê, por parte do “presidente do clube militar” (em letra minúscula mesmo, de propósito).


Informo que na data da manifestação, 29 de março de 2012, estava recém-operado, infelizmente impedido de participar de ato público contra uma reunião de sediciosos, os quais, contrariando à determinação da Exma. Sra. Presidenta da República, comemoravam o aniversário da tenebrosa ditadura, que torturou, matou, roubou e desapareceu com opositores do regime.


Entre os presentes estava o matador do Grande Herói da Pátria, Capitão Carlos Lamarca, e seu companheiro Zequinha – doentes, esquálidos, sem força, encostados numa árvore. Zéquinha e Lamarca foram fuzilados sem dó, nem piedade, quando a lei e a honra determinam colocá-los numa maca e levá-los para um hospital para prestar os primeiros socorros. Essa gente estava lá, não eu. Eles é que devem ser investigados. Eu farei um filme enaltecendo o Capitão Lamarca e seu bravo companheiro Zequinha.


Tenha certeza, Delegado, de que, enquanto eu tiver forças, me manifestarei contra o arbítrio e a violência das ditaduras e, já que o Sr. está conduzindo o inquérito, procure apurar se o canalha que prendeu, torturou e humilhou minha mãe nas dependências do Doi-Codi participou do “festim diabólico”. Isso sim é Constrangimento Ilegal. E já que se trata de assunto de polícia, aproveite para pedir ao “constrangedor ilegal” que ficou com o relógio da minha mãe – ela entrou com o relógio no Doi-Codi e saiu sem ele – que o devolva. Processe-o por “apropriação indébita, seguida de roubo qualificado (foi à mão bem armada)”. É fácil encontrar o meliante. Comece pelo Comandante do quartel da Barão de Mesquita em janeiro de 1971. Já que eles reabriram o assunto, o senhor pode desenterrar o processo. É, Delegado, o que eles fizeram durante a ditadura é mais assunto de polícia do que de política!


Pergunte ao queixoso presidente do clube militar se ele tem alguma pista do paradeiro do Deputado Rubens Paiva. Terá sido crime cometido por algum participante da festa macabra, onde, comenta-se, havia vampiros fantasiados de pijama?


Tudo o que fiz foi um chamamento pelo you tube convidando as pessoas a se manifestarem contra as comemorações do golpe de 64. Se este general entendesse ou respeitasse a lei, não teria promovido a festa e, tendo algo contra mim, deveria tentar me enquadrar por “delito de opinião” mas aí, na fotografia, ele ficaria mais feio do que é, não é mesmo?


Por fim, quero manifestar minha solidariedade aos que protestaram contra o “festim diabólico” e foram tratados de forma truculenta, à base de gás de efeito moral, spray de pimenta e choque elétrico – como nos velhos tempos. Bastaria umas poucas grades para separar os manifestantes do povo, que estavam na rua, aos sediciosos que ingressavam no clube. Há muitos poderia causar a impressão de estar visitando um zoológico e assistindo a um desfile de símios.


Não perca tempo comigo e com a ranhetice de um bando de aposentados cri-cri, aporrinhando a paciência de quem tem mais o que fazer. Pura nostalgia da ditadura, eles se portam como se ainda estivessem em posição de mando.

Atenciosamente,
Silvio Tendler

O Veneno está na Mesa será lançado no Vale do São Francisco

CONVITE:
É com enorme satisfação que viemos por meio deste convidar V.S. para o lançamento do filme “O Veneno está na Mesa” do cineasta Sílvio Tendler. Na oportunidade, após a exibição do filme, teremos a presença do próprio cineasta para debate e encaminhamento da Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e Pela Vida, no vale do São Francisco.
         Em tempo, aproveitamos para solicitar a divulgação do evento em sua organização. O evento será gratuito e aberto a todos e todas.
Onde?   No Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Petrolina – STR/Petrolina
                  Endereço: Avenida das Nações, n.º 280, Gercino Coelho, Petrolina
Quando? Dia 24/09/2011, Sábado, às 14 horas.

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

O Veneno está na Mesa

Finalmente saiu a versão final do filme produzido pelo cineasta Silvio Tendler para a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida.
Está muito bom! E já está no youtube.

Os links são estes abaixo:
Parte 1 – http://www.youtube.com/watch?v=WYUn7Q5cpJ8
Parte 2 – http://www.youtube.com/watch?v=NdBmSkVHu2s&feature=related
Parte 3 – http://www.youtube.com/watch?v=5EBJKZfZSlc&feature=related
Parte 4 – http://www.youtube.com/watch?v=AdD3VPCXWJA&feature=related

Para os interessados em conhecer e acompanhar mais a Campanha, escrevam para o e-mail da Secretaria Operativa nacional: contraosagrotoxicos@gmail.com

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Deserto Feliz

Nem vi ainda. Só sei que eu esperava há um tempão. E quem já viu, só fala bem.

Este é Deserto Feliz, terceiro filme de Paulo Caldas. Antes vieram Baile Perfumado e O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas.


Destaco a trilha sonora, comandada por Erasto Vasconcelos e Fábio Trummer. E como destaque dentro do destaque (!) “O Baile da Betinha” do próprio Erasto. Aliás, Clica aqui para entrar no novo SomBarato e baixar a Trilha do Filme.

O vídeo abaixo peguei no http://sembarato.blogspot.com. Pelo descrito é uma cena que não está no filme, mas é show de bola como divulgação. Trata-se da Zezé Mota cantando “Pode Me Chamar”, da banda Eddie.

Aliás, por falar em Eddie, também no novo Sombarato, o novíssimo “Carnaval no Inferno”, com lançamento em primeiro mão para download no supracitado sítio. Para mim, um dos melhores álbuns lançados este ano. Quero escrever sobre ele em breve.

Zeitgest: religião, política e dominação global

Quero recomendar fortemente um filme: Zeitgest

Trata-se de um documentário lançado em dezembro de 2007 que busca, através da discussao de três temas que terminam por se interrelacionar, contestar uma série de verdades absolutas que nos foram / são bombardeadas o tempo inteiro .

Os temas são religião, política e economia.
Através de inúmeros fato e argumentos, os autores constroem uma série de questionamentos que pretendem pôr abaixo uma porrada de afirmações impostas goela abaixo, algumas com milhares de anos de existência.

No segundo e terceiro capítulos, principalmente, que tratam da política e da economia, há um grande foco ao contexto estadunidense. O que termina por não estar muito distante da nossa realidade, vista a dominação política, econômica e cultural que ainda nos é impingida.

Filmes como esse não devem funcionar como grandes revelações, nem serem vistos de forma acrítica. Mas, ao menos, nos trazer questionamentos ao que transmitido dia-a-dia nas escolas, nos jornais, na televisão, etc.

Segue o link para quem quiser ver o filme (em português) pelo Google vídeo: http://video.google.com/videoplay?docid=-1437724226641382024

Estou sem muito saco de procurar outras fontes agora. É só procurar.
Mas qualquer coisa entra em contato. Eu tenho aqui no computador.

Ronaldo e os travestis: um fenomeno midiatico!

Bicho… é cada uma que aparece, que sei não…

Não sabe o que tá acontecendo?? Clica Aqui

Para quem já conhece o caso, primeiro eu acho o seguinte: não estou nem aí se ele faz uso de cocaína e/ou transa com travestis. Não seria o primeiro nem o último jogador. Aliás, há uma história que nunca ficou esclarecida em torno da final da copa do mundo de 98 na França, que envolveu o próprio Ronaldo. Mas isso é uma outra conversa.

O ponto a que quero chegar envolve o papel imbecilizante que a mídia brasileira cumpre nos dias atuais.

Cheguei mais cedo do Hospital hoje e, ao zapear os canais da TV, deparei-me com o Datena elocubrando se havia sido um golpe ou se estaria o Ronaldo no fundo do poço, numa viagem das mais bizarras que já vi nos últimos tempos.

O fato é que histórias como esta ou como da menina que foi jogada do prédio significam muito dinheiro para os grandes conglomerados da mídia e fundo do poço (neste caso sim) para o tão propalado futuro do nosso país.

Nem gosto do Ronaldo, mas tá na cara que o cara sofreu um golpe (ou uma tentativa, ao menos) dos grandes. Só não destrincho a minha teoria, porque aí já seria muita perda de tempo. haha

Enquanto isso, estou a perder o documentário Brizola: tempos de luta que deve estar a passar neste momento no Cine PE lá no Centro de Convenções. Não fui para poder estudar um pouco mais e dormir mais cedo. E me arrependo por isso…

Abaixo segue um trecho do programa eleitoral do Brizola em 89, no qual ele ataca o jornal “O Globo”. Apesar de algumas contradições, é uma figura por qual tenho grande admiração política.


Gilberto Gil: um comunicador!

Uma das coisas que me fazem rir bastante é ver o nosso ministro Gilberto Gil falar.
Gil, pra mim, é a pessoa que tem a maior capacidade do planeta de falar tanta coisa e não comunicar absolutamente nada! Figuraça!

Aos que ainda não atentaram (não necessariamente todos hão de concordar), peço que prestem um pouco mais de atenção numa próxima entrevista ou ‘canjinha’ do nosso ministro.

Abaixo um vídeo que encontrei. Uma pequena montagem, mas que pra mim representa bem o artista em questão

Abraços