Urariano Mota: A última mentira do Cabo Anselmo

Urariano Mota, no Direto da Redação, via Viomundo

José Anselmo dos Santos, ou Daniel, ou Jadiel, ou Jônatas…  ou mais simplesmente Cabo Anselmo, se apresentou no Roda Viva na última segunda-feira. Como já se esperava, ele esteve muito à vontade, porque os entrevistadores não pesquisaram a história dos seus crimes, e se fizeram esse indispensável dever, não quiseram levá-lo às cordas, para confrontar as suas esquivas com os depoimentos de testemunhas de 1973, ano das execuções de 6 militantes socialistas no Recife.
O momento mais acintoso foi quando ele se referiu à sua mulher, Soeldad Barrett, e dela retirou a gravidez, para se isentar de um hediondo crime, que cai como um acréscimo à traição de entregá-la para a morte.  Observem-no aqui neste momento, http://www.youtube.com/watch?v=iNf2M8c4gXs a partir do minuto 22.05 até 22.42.

Transcrevo:
“Cabo Anselmo – A Soledad usava DIU, desde que fez um aborto aqui em São Paulo, antes da ida para o Recife.
Entrevistador –  O senhor contesta a gravidez da Soledad?
Cabo Anselmo – Como?
Entrevistador – O senhor contesta que ela estivesse grávida, como a versão histórica …
Cabo Anselmo – Se eu acreditar, como dizem os médicos, que o DIU era o mais seguro dos preservativos, eu contesto, sim.
Entrevistador – Então o feto encontrado lá não era dela?
Cabo Anselmo – Eu imagino que seria da Pauline. A Pauline estava grávida, inclusive teve problema de gravidez, e Soledad a levou até o médico.”
Não vem ao caso agora observar que ele ganha tempo para responder, quando finge não ouvir bem e pergunta “Como?”.  Importa mais agora confrontá-lo com três depoimentos históricos. No primeiro deles, e mais impressionante, a advogada Mércia Albuquerque assim declarou na Secretaria de Justiça de Pernambuco, em 1996:
“Soledad estava com os olhos muito abertos com expressão muito grande de terror, a boca estava entreaberta e o que mais me impressionou foi o sangue coagulado em grande quantidade que estava, eu tenho a impressão que ela foi morta e ficou algum tempo deitada e a trouxeram, e o sangue quando coagulou ficou preso nas pernas porque era uma quantidade grande e o feto estava lá nos pés dela, não posso saber como foi parar ali ou se foi ali mesmo no necrotério que ele caiu, que ele nasceu, naquele horror”.
No segundo deles, a dona da butique em Boa Viagem, onde foram presas Soledad e Pauline , lembra que em 1973 Soledad lhe dissera que iria viajar para rever a única filha, antes de dar à luz, porque estava grávida. Isso foi falado à testemunha dias antes da  execução dos socialistas em janeiro, numa conversa íntima entre mulheres. Soledad estaria louca ou a dona da butique estaria inventando histórias?  E agora, por fim, prestem bem atenção mo que lembra um professor de história do Recife: Soledad e Anselmo foram vistos na Rua das Calçadas, no Recife, a comprar roupinhas de bebê. Que lindo e canalha, não?  Será que estariam então todos enganados a fantasiar a gravidez de Soledad, somente para incriminar o pobre Anselmo?
Ontem no Roda Viva o Cabo Anselmo cometeu a sua mais escabrosa mentira. Transferiu a gravidez da mulher para outra morta. E todos os repórteres, entrevistadores, apresentador calaram diante da eloqüência do velho traidor. O DIU, dizem os médicos, tem apenas 0,1% de falha. Já um agente duplo nunca nega fogo: é 100 % mentiroso.

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Wagner Moura em Defesa do nosso Código Florestal

Bomba nas redes sociais nas últimas 24 horas este vídeo do ator Wagner Moura explicitando sua posição contrária às mudanças no Código Florestal.

Ele está coberto de razão. Os ruralistas, capitaneados pelo Aldo Rebelo, do PCdoB-SP, conseguiram aprovar a proposta na Câmara dos Deputados. É preciso manter a pressão contrária no Senado e, se necessário, exigir o veto da Presidenta Dilma.

Chega de retrocessos.

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Cabo Anselmo aparece no Roda Viva de hoje

Vejo agora na internet que o Cabo Anselmo será o entrevistado de hoje na retomada do programa Roda Viva.
Cabo Anselmo, para quem não lembra, era ex-militante e que, após ser preso pelo Sérgio Fleury, aceitou ser agente infiltrado dentro das organizações esquerda, sendo responsável, a partir daí, pela morte e tortura de militantes de esquerda.
Uma destas mortes foi a de sua ex-companheira, Soledad Barret, prontamente assassinada pelo DOPS. Soledad estava grávida no momento do assassinato.
O excelente escritor pernambucano Urariano Mota escreveu um livro chamado “Soledad no Recife” como homenagem a esta brava lutadora e para que jamais esqueçamos momento tão triste de nossa história.
A postagem que escrevi na época da leitura deste livro pode ser acessada aqui:

http://www.propalando.blog.br/2009/10/soledad-no-recife.html

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.

Importando Lixo Hospitalar dos Estados Unidos

Na semana em que milhões foram às ruas gritar contra o capitalismo (vou fazer uma postagem sobre o tema), uma notícia chamou a atenção de muitos pernambucanos: um container com lixo hospitalar, vindo dos Estados Unidos, foi encontrado no Porto de Suape.

Absurdo, né? O danado é que a questão tem detalhes que a tornam mais dramática ainda.
Este material hospitalar contaminado vinha sendo importado por um empresa do ramo têxtil de Santa Cruz do Capibaribe-PE.  Entre o material, tecidos sujos de sangue, seringas, gazes e luvas hospitalares. Alguns desses tecidos com logomarcas de hospitais estadunidenses. Pode piorar? Pode. Nesta semana foram duas cargas encontradas. Mas outras seis já haviam sido importadas este ano sem que houvesse qualquer fiscalização.

Temos aí uma série de perguntas que precisam ser rapida e claramente respondidas pelas autoridades responsáveis:
1) Quantos containers assim foram trazidos por esta empresa nos últimos anos?
2) Quantas empresas trabalham desta forma?
3) Qual a destinação desse material contaminado?
4) O que será mais que passa por nossos portos sem fiscalização? Mais lixo hospitalar? Lixo atômico? Venenos para nossas terras e rios?
5) E por que ainda não foram divulgados os responsáveis?

Sei que algumas destas questões, infelizmente, não receberão resposta. O fato é que os envolvidos precisam ser duramente punidos. Além do sério risco trazido à saúde dos trabalhadores e das trabalhadoras da indústria têxtil do agreste pernambucano e à dos consumidores, há uma forte questão de soberania nacional envolvida aí! Não dá para passar batido.

 Assine o Feed do Propalando para nos acompanhar.