Literária

E ai galera.
Olha só,
publico abaixo um texto de um grande amigo meu. João Guilherme. Além disso, um cara que manda muito bem escrevendo. Ele está dando o pontapé inicial também em um blog, no qual acredito que vai colocando as suas produções literárias. 🙂 http://eiranembeira.blogspot.com.

Quem já jogou bola comigo sabe que sou goleiro. Dai a identificação. Dai a escolha do texto.

Grande abraço e que tenhamos tod@s um 2007 cheio de lutas e conquistas!

A eterna solidão do goleiro

No campo, é o mais estranho dos jogadores: usa as mãos e não é advertido ao tentar de todas as formas evitar a glória máxima desse esporte: o gol. Se atua mal, é responsável único e direto pela derrota. Se não, também recebe críticas aos montes. Há nesse imenso planeta alguém que realmente entenda a eterna solidão de um goleiro?

– Realmente torturante, dirão alguns. E, além de todos esses agravantes, esse pobre cidadão vive ali, em uma minúscula área, observando tudo à distância, comemorando as alegrias de sua equipe de forma comedida, bastante discreta. Isso sem falar nas revistas esportivas… Já viu manchete em que goleiro é destaque? São poucas… Salvam partidas, dão início a diversas jogadas, mas nada. Poucas linhas, no máximo. Já ouvi até uma tese bastante interessante de um amigo: “goleiro é filosofo. Fica ali, quietinho, só analisando a partida. Dai, chega em casa e anota tudo, para depois, quem sabe, escrever livro, vender matéria pra jornalista. Até soube que vários deles estudam para ser doutor e tal… Figurinha estranha, essa…”

Nesse mágico palco formado por 4 imensas linhas, não só papéis sem destaque representam esses importantes personagens. São astros, ofuscados mas o são. Então, que se abram as cortinas! Com vocês, o incrível guarda-redes!

João Guilherme “Lanzudo” de Melo

Sou fascinado por charges e cartuns. Acredito que este tipo de arte tem um potencial muito forte, podendo muitas vezes retratar uma realidade melhor que muitos textos. Então com certeza aparecerão o tempo todo por aqui.

Mas para não terminar este post assim, vocês sabem qual a diferença entre a charge e o cartum?
O Cartum tem por definição ser universal e atemporal. Já a charge está muito bem localizada dentro de um contexto histórico. Para melhor compreensão, leia o seguinte artigo.

Peço mil desculpas por não saber agora quem é o autor.

Atualização 01/01/07: O autor da charge é Raphael Salimena e o blog dele é: http://linhadotrem.blogspot.com

roda de samba 3d

Como primeiro post do blog diponibilizo um video muito bom q encontrei vasculhando o youtube atrás de rodas de samba. É uma animação feita por um grupo chamado “3dmentes” (que nao conheço). Ficou muito legal. Nesta animação, eles intepretam a musica “Degraus da vida” de Nelson Cavaquinho. Bom, já Nelson Cavaquinho dispensa comentários… quer dizer, volto a falar em breve no grande sambista que ele é.